sábado, 5 de abril de 2008

É fácil saber quando o dono do dicionário é um japonês!

Dicionário. É fácil você diferenciar quando o dono do dicionário é um brasileiro ou um japonês. Você sabe como? Pelas anotações. Isso mesmo. Os japoneses não têm o menor pudor em riscar, escrever, anotar, sublinhar ou colorir o dicionário. Não sei se isso é uma herança minha da escola, quando eu usava livros do governo e tinha que devolvê-los quase intactos no final do ano, mas eu não creio que no Brasil seja normal escrever, anotar, sublinhar ou colorir no dicionário. Livro, eu na faculdade já não tive tanto problema em escrever coisas, até porque eu tinha comprado com o meu dinheiro. Mas escrever no dicionário, eu acho um pouco demais...
Lembro da primeira vez que vi um japonês escrevendo no diconário. Achei aquilo um sacrilégio. Ele, por sua vez, me olhou com cara de espanto e me perguntou: "E o que você faz quando julga que aquela palavra é importante? ". Em um primeiro instante, respondi que não fazia nada, apenas procurava memorizar aquela palavra. Ele arregalou os olhos quase dos tamanho dos meus e disse: "Mas você não anota??". Eu disse a ele que se quisesse anotar, eu anotaria sim, mas em um caderno separado ou até em uma folha avulsa, mas nunca, jamais, em hipótese alguma, eu escreveria no dicionário. Resultado: ficamos eu e ele admirados um com o outro.
Depois, percebi que era coisa de japonês mesmo esse negócio de escrever e fazer anotações no próprio dicionário. Achei, ou melhor, ainda acho estranho, mas sei que para eles isso é a coisa mais normal do mundo. Eu entendo, mas ainda não consigo ter "coragem" de escrever qualquer coisinha que seja no meu dicionário. Já tive que compartilhar dicionário com um colega de trabalho japonês e sempre brincava com ele para ele se policiar e não escrever nada no dicionário que era meu. Até que ele sempre respeitou a limpeza do meu dicionário. Mas uma vez, logo quando ainda não havia passado o choque de ver alguém escrevendo no dicionário, eu perguntei ao colega japonês o motivo de ele não anotar em um caderno e sim no próprio dicionário. E foi curto e grosso. "O dicionário não é meu?". Sim, mas... é que... bom, fiquei sem resposta e me vi obrigado a encerrar o assunto.
Eu já estava mesmo pensando em escrever sobre essa coisa de escrever no dicionário, mas o estopim mesmo veio quando eu vi, ou melhor, li na Aera English desta semana (foto). Imagine você que, segundo a revista, uma das formas de se ampliar o domínio de vocabulários é, (pasme), usar um marca-texto para destacar as palavras que você achou no dicionário! Tinha até uma foto como exemplo. Veja só!
Outra coisa Muito Japão que estava no texto era o complemento deste método de aprendizado. Segundo a revista, se você buscar uma palavra e ela já estiver marcada, você deve marcar novamente, mas com outra cor!!! E quando a mesma palavra for destacada três vezes, com cores diferentes, aí sim, é hora de fazer cartões com as palavras que não entram de jeito nenhum na sua cabeça. É mole? Achei muito interessante e ao mesmo tempo curioso ver um método deste tão japonês. Aliás, será que sou só eu que não escrevo no dicionário? Bom, eu pelo menos nunca vi ninguém fazê-lo no Brasil. E você, escreve no dicionário na boa? Deixa então um comentário sobre isso. De repente sou obrigado a rever meus conceitos. Bom, a palavra de hoje em japonês pode ser então 辞書 (jisho). Em bom português significa "dicionário". Pode ser usada também a palavra 辞典 (jiten).

17 comentários:

Leo Ichigoing disse...

hahaha eu nao sei quanto ao resto do brasileiros mas eu grifo com marca texto o dicionario de ingles. O de portugues apenas memorizo. Mas escrever no dicionário acho que nunca o fiz, talvez porque eu nunca mais vá abrir naquela página em específico para ver uma anotação.

simone disse...

Não se preocupe, você não é o único a não escrever em dicionário.
Também nunca fiz isso, e mesmo assim aprendi outra língua.
Mas não vou negar que gostei da idéia.
Quem sabe a gente aprende com eles...
Adoro seu blog...morei por 6 meses no Japão e sou apaixonada por este país.
Lendo seu blog, mato um pouco da minha saudade.

Bjos

Myogen disse...

Não só nunca escrevi em dicionário, como em livro nenhum... Quando dava aulas de francês, se tinha que anotar algo em algum livro de leitura que eu passava pros meus alunos, eu simplesmente comprava dois exemplares... Um para deixar intacto, outro para dar aula... Neurose demais, né?! Muito Brasil, hehehe

Kendier disse...

Não tem nem como eu marcar pq uso um dicionário eletrônico para japonês e inglês! XD

Anônimo disse...

Realmente nunca tinha ouvido falar e nem mesmo pensei em marcar meu dicionário parece ser interesante mas, como vc disse,"sei lah".

Acho q meio q "suja" o dicionário.

Lype no Sekai disse...

Não não nãooo
heuahuea

Meu dicionário lindo não! rsrs

Amanda disse...

eu também me senti "riscada" quando vi que o meu dicionário estava riscado rsrs.
Com o perfeccionismo nipônico, é engraçado ver um dicionário em japonês riscado!
adoro seu blog^^ Adoro quando você poe essas fotos com texto, eu fico tentando entender, e ainda aprendo muitas palavras novas!

Lya Gobetti disse...

Nossa... eu nunca escrevi no dicionário, mas tenho que adimitir que é um ótimo jeito de decorar vocabulário o__o eu, pessoalmente, não teria coragem... mas acho que é porque eu nunca escrevo em NENHUM livro sequer (só em um livro de história que passou de mão em mão na minha família (era do meu primo que deu pra minha irmã que passou pra mim) e quando eu o recebi já estava todo caindo aos pedaços e cheio de marca-texto).
Agora, eu mesma tenho um dicionário de português de estimação. :3 Minha escola deu um pra cada um na 3ª série (eu tinha 9 anos), e isso era na época em que colante (aqueles brilhosos de plástico que vendia em loja de R$1,99, não os de papel que vem de brinde nos cadernos) ainda valiam a pena comprar. Hoje em dia, todo e qualquer colante é MUITO mal-feito, não é todo brilhoso, e em um mês no máximo o plástico de cima cai e ele começa a ficar sujo e descascar. Saudade da época em que passagem de ônibus e picolé da Nestlé era R$1... meu dicionário de estimação tem colantes nele todo; até hoje, estão razoavelmente bonitos e intactos. Meu objetivo era colocar um colante diferente para cada letra do alfabeto, mas nunca consegui uma quantidade de colantes suficiente...

Anônimo disse...

eu grifo as coisas na biblia.
seria eu meio japa? uauhauha

itsanada disse...

Agora por outro lado, se vc vai na biblioteca da universidade por exemplo eh muito dificil achar livro rabiscado... Esse eh um paradoxo que eu gosto...

Kiki disse...

Eu costumava fazer isso na época da faculdade, anotava todas as palavras, sublinhava, riscava... Quando eu terminei o curso fiquei assustada com a quantidade de palavras que já procurei, a maioria eu nem lembrava mais que tinha lido! :P

Achei interessante, mas eu não costumo riscar nenhum livro ou outros dicionários, pelo o que você disse, é uma coisa bem normal aí, então deve ser muito Japão riscar dicionários! Um professor me disse que é certo fazer isso, é uma maneira de memorizar muito eficiente! ;)

shiru disse...

Eu estudei por mais de 7 anos no Japao e sempre usava um marca-texto nos livros e nos dicionarios. Alias, o proprio professor (nas vesperas das provas) nos incentivavam a marcar as partes mais importantes que poderiam cair nas provas. Me lembro q nas aulas de ingles ou de japones(na maioria das vzes na aula de kanji) os professores davam dicas das palavras ou kanji importantes e a maioria marcavam em vermelho mas, quando era ''menos'' importante marcavamos em amarelo, verde ou azul...ai ja dependia do gosto de cada um. Lendo o seu blog me lembrei desses detalhes:) ....mas pra mim sempre foi normal fazer rabiscos ou marcar nos livros e dicionarios. E na minha opiniao isso ajuda bastante pois, na hora de estudar nao precisa ficar checando o caderno e o livro ao mesmo tempo..

yugui disse...

Não, não tenho dificuldades em riscar em dicionario não, eu uso o marca texto também...
Inclusive minha mãe usa o marca texto na biblia....^^

Tchetchita disse...

Aprendi na escola quando era pequena que não pode escrever nos livros, nem fazer orelhas porque isso é falta de educação com o autor.(??????????)
Mas meu professor de literatura atual manda que nós anotemos o necessário em livros, mas apenas em edições de bolso.

Paulo disse...

Que ideia demais!!
Eu nunca tinha escrito no dicionario antes, mas acho que é uma boa ideia, por que sempre procuro as mesmas palavras pelo simples ato de esquece-las...ahahaahha
Tambem acho meio sacrilégio escrever nos livros...principalmente quando lembro de $$$ quanto custaram T_T oouchie

Anônimo disse...

Achei interessante o facto de ter tocado neste assunto, porque parece que nao é so no japao que se escreve e risca os dicionarios e livros escolares (ou de faculdade), em portugal tambem muitos alunos tem o habito de fazer isso td, desde escrever, fazer apontamentos e ate fazer desenhos. Claro que tambem ha queles que nao gostam de fazer esse tipo de coisas sejam nos dicionários ou nos livros. Temos ate professores que nos incentivam a escrever e fazer apontamentos nos livros ou dicionário, mas tb ha aqueles que se nos apanham, so falta mesmo é explusarem da sala de aula lol.

**

Tenho passado algumas vezes pelo seu blog e achei muito interessante a maneira com aborda as difenças culturais.

Anônimo disse...

Bom, eu escrevo, destaco as palavras...com cores diferentes!! Pasmei quando li essa postagem há alguns minutos...!! Eu adoro, porque ajuda a memorizar legal.Mas até hoje só usei esse método no meu dicionário de nihongo! Bom acho que para as pessoas com problemas de visão deve ser algo muito útil. E acho até que é por isso que os japoneses rabiscam dicionários com tanta naturalidade, pois em geral eles tÊm, ou leves problemas de visão ou graves...!Mas SEMPRE têm ! rsrsrs

Maki