terça-feira, 15 de abril de 2008

Bandeira para Pedir Ajuda

Ontem, quando fui atravessar a rua, me chamou a atenção o fato de ter dois nipotiozinhos parados, um de cada lado da rua e, enquanto as pessoas atravessavam a faixa de pedestres, eles, com um dos braços esticados, seguravam uma bandeira amarela, escrita em preto, "Atravessando". Pensei mil coisas desde "Pra quê isso!?" até "Muito Japão!!". O sinal fecha para os pedestres, e eles guardam a bandeira. Detalhe: eles estavam de roupa normal e só com um colete amarelo cheguei meio que ligado na tomada de tão chamativo.
Coincidentemente, eu chego no trabalho e pego o jornal para ler e vejo lá "Peça ajuda com uma bandeirinha". Só o nome da associação que inventou isso já me incentivou a continuar a ler: Associação Help Me das Bandeirinhas Amarelas. Na matéria, uma vovozinha conta que um dia ela se perdeu na volta do mercado para a casa dela. Só que ela não conseguia parar ninguém na rua para pedir ajuda!! Aí ela pensou que, se ela tivesse algo para sinalizar que estava precisando de ajuda, as pessoas poderiam parar e ver qual era da velhinha! Fala sério! Uma bandeira para parar alguém na rua simplesmente para dizer que está precisando de ajuda!! Bom, mas, foi assim que surgiu a Associação Help Me das Bandeirinhas Amarelas - faço questão de repetir porque como diria nossa amiga Shigecchi, o nome da associação "é tudo". Ainda segundo a reportagem, no início, as bandeiras eram feitas em tecido simples e escritas com pilot. Agora a coisa já está mais sofisticada. E o grupo já está recebendo pedidos de vários lugares e outras associações. As mensagens também ganharam novas versões. Antes era só "Pode me dar uma mãozinha?", e agora, tem várias outras. Vejam a foto que eu peguei no site da prefeitura de Setagaya, que foi onde tudo começou.
A primeira, lá em cima na foto é a de "Pode me dar uma mãozinha?". Depois surgiram as outras: 横断中 (Atravessando), タクシー!(Táxi!), すみません (Com licença) e 道に迷っています。教えてください。(Estou perdido(a). Pode me ensinar o caminho?). O mais interessante é a situação que eles idealizaram para criar as bandeiras. Vejam as figuras e imagine o quão natural são as cenas diárias apresentadas. A primeira delas é a bandeirinha amarela de pedir ajuda. Com a bandeira amarela de "Pode me dar uma mãozinha?", a pessoa pede ajuda para subir as escadas do banco, por exemplo. Com a bandeira amarela de "Atravessando", a senhora sinaliza que ela está...como direi...atravessando?!
Com a bandeira amarela de "Táxi!" , o ceguinho - deficiente visual para ser mais polido - pede ajuda para pegar um táxi.

Com a bandeira amarela de "Com licença", a pessoa pede ajuda uma outra dentro do trem!

Com a bandeira amarela de "Estou perdido(a). Pode me ensinar o caminho?", o velhinho consegue parar alguém na rua e dizer que está perdido...

A do deficiente visual usar a bandeira para fazer o táxi parar até é compreensível, vai! Também acho que essa bandeira deve ser muito útil para deficientes auditivos ou mesmo mentais com dificuldades em se comunicar efetivamente. Fora isso, fala sério. A que ponto chegamos com a necessidade de alguém precisar esticar uma bandeira amarela para pedir ajuda na rua ou para dizer que está atravessando! Fora que corre o risco de acharem que é pegadinha!! Mas ao mesmo tempo sei que é verdade que aqui no Japão as pessoas não se falam nas ruas. Ninguém pergunta a hora para outra pessoa na rua! Não existe isso! Principalmente em Tóquio. Em Osaka, até que falam com desconhecidos, mas no geral, é raro. Só com bandeirinha amarela mesmo para se fazer comunicar com alguém na rua! Bom, a palavra de hoje então é "bandeira". Em japonês, (hata, se pronuncia "ratá").

6 comentários:

Slade disse...

Mais uma notícia de algo "Muito Japão" e insano a olhos brasileiros... auhauahuah

belo post, também achei que para deficientes visuais é uma boa mas... fora isso, é difícil achar uma utilidade :|

Kaio disse...

Ahahaha! Muito doido isso tudo!

Concordo com as bandeiras pra deficientes, mas o resto é exagerado mesmo. Mas coitada da velhinha... ninguém quis ajudar ela no começo e surgiu essa coisa toda...

No mais, parabéns pelo blog, muito bom, continue sempre assim! É um grande guia!

baiano disse...

Acho que vou criar aqui a bandeirinha escrito: Já fui assaltado hoje. Que tal?!

C@ruso disse...

se fosse no Brasil, ou teríamos uma torcida organizada HELP ME das bandeirinhas amarelas ou já teríamos propaganda nas bandeiras.

Aliás a bandeirinha deve ser um sinalizador para outro japonês. Seria como:Fale comigo por favor! - já que dificilmente se dirigem a terceiros.

Muito Japão essa hein !
Bjs

Myogen disse...

Será que os japoneses não percebem que há algo errado no convívio social quando surgem coisas assim??? Ou a insensibilidade é tanta que eles acham que tudo bem ninguém se falar nas ruas? Eu acho beeeem problemático.

Raquel disse...

Nossa, eu já parei tanto japa na rua pra perguntar as coisas! E nem me ocorreu que isso era fora do normal porque sempre foram muito gentis. Vai ver a minha cara de estrangeira ajuda...

Mas também já aconteceu de japa me pedir informação na rua, acredita? Uma vez uma velhinha me pediu informação na plataforma do trem. Um zilhão de japas em volta e ela vem perguntar pra gaijin!

Teve outra velhinha que vinha pedindo informação distraída e quando viu que eu era estrangeira levoi um susto, falou aquele "AH" que os japas falam (dando aquele tranco), riu sem graça e desistiu de perguntar.