segunda-feira, 9 de junho de 2008

Em plena luz do dia

"Akihabara"
"Tragédia"
Seja sincero(a). O que você pensaria ao ler no noticiário em plena segunda-feira a seguinte manchete: "Homem morre ao ser atingido por bala perdida no Rio de Janeiro". Pois é. Não precisa disfarçar. Eu sou carioca da gema e, desde que me entendo por gente, sei a fama - e sei também a realidade - que a minha cidade tem. Nunca notei nenhuma diferença com o passar dos anos. É sempre a mesma história. Mas então, o que você provavelmente sentiria ou, eu diria, sente, ao ler sobre "bala perdida no Rio de Janeiro" foi o que eu senti ao ler sobre "assassino nas ruas do Japão". Veja bem. Não quero abrir nenhum painel de discussão sobre que país é o lugar mais seguro do mundo - se é que esse lugar existe realmente. Até porque, o resultado não me interessa - e há 32 anos, convivo com a minha cidade nas primeiras colocações. Tudo bem.
Mas a verdade é que desde que eu cheguei neste país, este não é o primeiro caso de um louco que sai esfaqueando inocentes pelas ruas japonesas. Uma colega brasileira disse uma vez: "Aqui (no Japão) a gente não precisa ter medo de assalto, mas eu tenho medo desses loucos na rua". Isso porque, vira e mexe aparece um maluco desse, revoltado, que com uma faca sai matando o povo na rua. Existe até uma palavra em japonês só para designar esses caras: 通り魔(toorima). Em dicionários de inglês ou de português só encontrei a explicação: "louco que sai pelas ruas matando".
O que varia entre todos esses casos é no máximo o local e a maneira com que o assassino adquiriu a faca. O local é muito importante. Veja este caso. Akihabara! Um dos lugares no Japão mais visitados por turistas do mundo inteiro! Talvez por isso a notícia tenha repercutido tanto nos jornais do mundo inteiro. Mas como eu disse, este não é o primeiro caso. Até a frase "eu queria matar, podia ser qualquer um"... já está manjada. Assim como esse falou, outros já falaram. Confesso que nos primeiros casos, essa frase me causava arrepios. Mas agora, só acho uma falta de originalidade incrível.
É triste pensar nas pessoas que foram para Akihabara somente para se divertir ou comprar a câmera fotográfica dos sonhos. O que causa ainda mais um friozinho na barriga é saber que é um local em que eu mesmo poderia estar passando naquele momento. A mesma Akihabara que levei meu irmão e minha mãe para conhecerem quando eles vieram me visitar. Mas, não vou me mudar por causa disso. Não vou deixar o Japão só por causa dos loucos assassinos. Assim como, com certeza, se um dia eu tiver que voltar ao Brasil, é no Rio de Janeiro que eu vou morar.

A palavra de hoje pode ser essa 歩行者天国(hokoosha tengoku). Uma palavra interessante para designar a rua quando é fechada para pedestres. Ao pé da letra seria "Paraíso dos pedestres". Por isso, alguns repórteres japoneses não perderam a chance do trocadilho ao escreverem: 歩行者天国地獄に変えた, ou seja, "o Paraíso dos pedestres se transformou em um inferno". O que? Você não está sabendo desse caso? Dê uma olhada no site do O GLOBO.

No Youtube você já encontra:

1. imagens gravadas por uma pessoa em Akihabara

no mesmo dia da tragédia.

2. imagens gravadas por uma pessoa em Akihabara
um dia depois da tragédia.

7 comentários:

Takeo Maruyama disse...

Olá, conheci o seu excelente blog ontem e adorei seus textos, muito bem escritos e explicadinhos pra quem não tem muita intimidade com o Japão.

Eu também moro no Japão (Nagano) e no começo, assim como você, gostava de reparar bastante nas diferenças entre Brasil e Japão. Mas como já estou no Japão há 9 anos, me adaptei bem demais ao país e nem estranho mais nada. Vou estranhar agora é quando voltar ao Brasil, he, he, he. Eu sempre escutava os amigos que já foram dekasseguis comentando que ao voltar ao Brasil existia uma fase de readaptação, e eu não compreendia isso muito bem na época, mas agora entendo muito bem!

Quanto ao assassino de Akihabara e outros assassinos semelhantes, realmente, apesar de chocante, já está ficando manjado. Se esses malucos não vêem mais sentido na vida, por quê não se matam simplesmente ao invés de matar inocentes? Revoltante!

Abraços

Wilson Iwano disse...

Estive no japão no final do ano passado e realmente fiquei assustado com a segurança daí... Todos andam com seus ipods e gadgets sem a menor preocupação. Tive ir até à casa de um amigo durante a noite e apesar das ruas escuras e silenciosas, ele me assegurava de que era seguro, e assim foi. É triste quando acontecesse essas coisas. Gente sem esperança que comete essas atrocidades. "Quero trazer à memória aquilo que me trás esperança". Parabéns pelo blog, já estou acompanhando faz um tempo!

bruNÊRA disse...

lendo isso eu fico me perguntando oque é pior, viver aqui e ter que ficar sempre preocupado de onde vem o tiro ou assalto, ou viver ai e ter uma "falsa" sensação de segurança...ainda assim acho que por ai é melhor...

Karina Almeida disse...

pois é, eu também já me acostumei com essas notícias de louco...

mesmo assim, acho que ainda estamos beeeem mais seguros aqui do que no brasil.

lá tem bala perdida, assalto e cia todo dia, toda hora. aqui os loucos atacam de vez em quando :P

se bem que vejo louco na rua todo dia! uns falando sozinhos, outros gesticulando, outros saltitando! ontem tinha uma mulher saltitando em pleno shopping. cruzes!

mas acho legal a tranquilidade que a gente tem aqui. a gente não precisa ficar o tempo todo estressado, pensando na melhor estratégia de não ser a próxima vítima ne.

enfim, mas que tem louco demais tem! e também tenho medo de terremoto. nesses casos, só nos resta rezar. seja o que deus quiser!

e como você, não vou me mudar do japão nem deixar de achar esse país o máaaaaaaaximo por causa dos loucos.

tragédias acontecem em todo lugar. infelizmente : (

Isa Ueda disse...

Eu continuo achando tudo isso um horror, sinceramente. E também que é um erro dizermos que estamos acostumados a ouvir esses tipos de coisas, muito embora sempre apareça alguma coisa chocante que mude os paradgimas do que é e do que não é uma loucura. Mas como vc disse, e com muita razão, também não me mudaria do meu "cantinho" por causa desses absurdos. Não existe um lugar 100% seguro, e todo dia acontece milhares de coisas horríveis que ninguém fica sabendo, assim como milhares de coisas boas também acontecem e ninguém está nem aí com isso.
Parabéns pelo post ;)

Vania disse...

Noooossa, não sabia desses loucos! É lamentável uma coisa dessas... tb acho que o cara devia simplesmente cometer suicídio e pronto. Só por Deus mesmo...

samia disse...

Hm, realmente é uma coisa triste de se ver. Uma fatalidade. Esses loucos revoltados com a vida deveriam se isolar da sociedade, ao invés de querer levar inocentes juntos com ele em sua loucura.

Bom, devo lembrar-me de parabeniza-lo pelo blog, é uma fonte maravilhosa de informação e descontração sobre o Nihon, tanto para simpatizantes da cultura nipônica quanto estudantes da língua. (ih, bajulei! haha)

Então é isso aí! Continue sempre firme e forte com o blog! :D

じゃまたね!

がんばれ!:D