sábado, 29 de dezembro de 2007

Esqueça a minha Calói !

Bicicleta. Bicicleta. Bicicleta. Nunca vi tanta gente andando de bicicleta como a gente vê aqui no Japão. No Brasil, eu tinha que ir para o calçadão de Copacabana para ver alguém de bike, mas mesmo assim, nunca tinha visto ninguém de terno e gravata montado numa. Sim, porque aqui isso é a coisa mais comum de se ver. E olha que não é só marmanjo de terno e gravata não. Você vê mulher de salto alto e meia-calça e tudo! Todos de bicicleta. Até o policial faz ronda de bike!Difícil mesmo é ver alguém andando de bike com roupa de ginástica, um tênis maneiro, ouvindo um ipod e uma garrafinha de Gatorade!!
Aqui no Japão a bicicleta não é somente usada para lazer ou para manter a forma. Ela é um meio de transporte. As pessoas usam bicicleta para ir ao trabalho. As donas de casa usam para ir ao supermercado. Pais e mães utilizam a bike para buscar as crianças na creche etc. É muito comum também bicicletas com cadeirinhas acopladas para carregar as crianças. Tem umas que têm cadeirinha atrás e na frente.

Modelo com a cadeirinha na frente

Modelo com a cadeirinha atrás

Eu uso minha bicicleta ainda assim, como direi, como uma bicicleta mesmo. Mas confesso que em certos momentos que passo por aqui, me sinto como se estivesse pilotando "O" veículo. O próprio fato de existir "Estacionamento de Bicicletas" já me chamou a atenção. Shopping e supermercados dedicam espaços para os clientes estacionarem suas bikes.

Estacionamento de bicicletas (駐輪場)

Na foto debaixo, uma placa da entrada de um Game Center que mostra onde fica o estacionamento de bicicletas. A parte superior traz o nome do lugar (Top II) e a descrição "estacionamento de bicicletas" (駐輪場 = chuurinjoo) e "entrada" (入口= iriguchi). Na parte inferior a mensagem diz que "ao descer ou subir com a bicileta o cliente deve chamar o funcionário ou o guardinha".

Pior foi o dia em que fui colocar minha bike no estacionamento de um supermercado e, para minha surpresa, eu tinha que enfrentar fila! Para minha surpresa maior, enquanto estava na fila, recebi um bilhete que dizia que eu deveria apresentar aquele papelzinho para o fiscal do estacionamento, juntamente com o recibo de compras!! É mole!? Na hora de estacionar não é que o tal nipotiozinho fiscal do estacionamento estava lá? Entreguei minha bike a ele, que fez o favor de estacioná-la.
Mas não só dentro de shoppings e supermercados há estacionamentos para bicicletas. Há muitos outros perto das estações de trem, por exemplo. São lugares próprios para isso. Alguns são tão organizados, tão Muito Japão, que você se sente numa moto de verdade! Este da foto por exemplo, a placa informa que está cheio (満).

Acho interessante também ter nas ruas a marca para o caminho por onde as bicicletas devem andar. Até na faixa de pedestres há um espaço reservado para as bikes (じてんしゃ)! Embora, cá entre nós, tem muita gente que não usa.

Aliás na calçada, não tem coisa mais chata do que ouvir um trim-trim vindo de trás de algum nipobabaca querendo passar. Por que não vai pela rua? Por que não espera? Por que não enfia esse trim-trim... bom, são várias as perguntas que me passam pela mente naquele momento.

Há também os locais proibidos para parar a bicicileta. Isso mesmo! Não é porque é uma bicicletinha só que você pode deixá-la em qualquer lugar não. O aviso de Proibido Estacionar Bicicleta pode ser visto em vários lugares do Japão. Quando não há uma aviso no chão dizendo que ali é proibido, ficam uns tiozinhos com um colete - se sentindo OS guardas - só para não deixar parar em lugar impróprio e, se assim você o fizer, ganhará um bilhetinho dizendo que a sua bicicleta está encomodando os outros. É o que os japoneses chamam de 迷惑駐輪 (meiwaku chuurin) ou 放置自転車 (houchi jitensha). Um dia mesmo eu fui deixar minha bicicleta na frente do banco, onde eu iria só sacar dinheiro, e me aparece um velhinho com um colete que parecia estar aceso de tão chamativo que era. "Desculpe senhor mas aqui não é permitido estacionar. O banco possui estacionamento próprio para as bicicletas. Por favor, dirija-se a ele", disse ele. É mole?!

Ah! Mas nada vence o fato de eu ter passado por uma blitz de bicicleta!! Isso mesmo blitz! Estava eu pedalando, pedalando com a Calói, quando de repente, bem na frente, vejo um policial me pedindo para parar. Na hora eu pensei..."ah não! essa tem que ir pro meu blog!". Primeiro ele perguntou se eu entendia japonês. Pensei em bancar o gringo analfa, mas achei que era melhor dizer a verdade. Foi aí que ele se fez e aproveitou para me fazer um monte de perguntas. Me perguntou meu nome, onde eu morava, qto tempo estava no país etc etc... por último ele foi conferir o "documento" do veículo.

Não é que haja um documento como o de carro, mas quando eu comprei minha bicicleta, o vendedor disse que eu teria que pagar uma taxa para registrar meu nome como o dono da bicicleta. É o que eles chamam de 自転車防犯登録 (jitensha bouhan touroku), algo como "registro contra roubo de bicicleta".

Logo, na minha bike tem um adesivo (como este da foto) com um número que funciona como o comprovante de que a bike é minha mesmo.

E foi isso que o guardinha verificou. No walk-talk, ele leu número por número e assim que ele terminou, o guardinha do outro lado da linha acertou meu nome na mosca!! Lá estava eu, liberado da blitz! Mas e se eu quiser emprestar minha bike para um vizinho ir na esquina comprar umas cervejas e ele for pego pela blitz? E se eu viajar e deixar o meu irmão usar a minha bike e ele for pego pela blitz? Será que só o dono pode andar na bicicleta? Olha, se não fosse quase meia-noite, eu juro que teria feito essas perguntas ao guardinha. Fica para a próxima vez, porque aqui perto de casa, vira-e-mexe tem blitz.... de bicicleta!!! Bom, fiquemos então com a palavra de hoje em japonês. 自転車(jitensha). Em português, você já deve desconfiar, não é? Isso mesmo "bicicleta". Não confundir com "carro" que em japonês é 自動車(jidoosha).

18 comentários:

Kendier disse...

Quando eu estive no Japão em abril, enquanto andava pelas ruas de Hiroshima levei um baita de um susto com uma estudante ginasial fazemdo "trim trim" perto de mim na calçada(ele disse "sumimasen" - amo a educação que os japoneses têm)! heheh

Aqui no Brasil é raro mesmo ver pessoas andando de bike(geralmente só vejo o entregador da farmácia ou ladrões...). Eu moro no Grajaú - RJ, bairro bem simpático para andar de bike mas só não adquiro uma por um simples motivo: moro em um prédio antigo que não há elevador nem garagem e como moro no 3º andar(último andar), nem penso em comprar uma... :/

Agora tô me lembrando de quando morava com minha avó e ia sempre para natação de bike! ^^

Pelo que entendi neste tempo todo que acompanho este blog, você não é nikkei! Bem que você podia fazer um post uma hora dessas sobre como gaijins como eu podem ir para Japão se não pedir muito! heheh O único jeito que encontrei é fazendo uma pós-graduação por aí! ^^

E ontinue assim porque o blog está demais! :) Todos os meus amigos que indico este site sempre ficam fã dele!

Kazu disse...

eh, eu tb vivo sendo parado nessas blitz! :(

soa estranho, mas sabia q vc nao pode carregar gente na garupa? a policia manda a pessoa da garupa descer (mesmo q esteja devidamente sentada)... e pq o cara que fez trim-trim atras de vc nao anda na rua? bom, teve uma vez q tava pedalando na rua, o guarda mandou eu ir pra calcada! :P

Uberlan disse...

E responda uma coisa:
Eles tomam banho antes de entrar no trem?
Tem banheiro?
Se não... eca!

Sayuri disse...

Gosto muito do seu blog! Que tal algum dia fazer uma reportagem sobre "hikikomoris" ou sobre "ijime (bullying)"?

Anônimo disse...

Nossa como sofri andando de bicicleta no inverno e verao ,affi sao as piores estacoes para andar de bike aqui no japao obs: ia trabalhar ,fazer compras buscar filhos na creche meu deus foi um sofrimento,pra mim bicicleta agora so ando por lazer ,mais tenho muitas historias engracadas que passei com minha bike .adoro seu blog alem de trazer informacoes uteis para quem mora nesse pais ,tambem voce colocar os significados das palavras ,atraves do seu blog estou me informando,me divertindo e aprendendo parabens muito bom ah tambem sou carioca que saudade da praia de copacabana que aos domingos aquela avenida fecha e podemos andar a vontade com nossas bike.

Gisele Scantlebury disse...

Eu prefiro andar pelas ruas... as calçadas são sempre cheias e não gosto de buzinar porque tenho medo de dar susto nas pessoas (risos!). Claro que algumas ruas são muito estreitas e fico com medo de andar por elas, aí só me resta a calçada.

Também já fui parada pela blitz das bicicletas. Mas, ele não perguntou se eu falava japonês. Pediu para ver minha carteira de estrangeiro e olhou para o nome que tem em um dos adesivos de registro da minha bike, que, para mim, é uma extensão da minha pessoa aqui no Japão. Sem ela, não sou ninguém.

Quanto a emprestar a bike, já ouvi dizer que isso causa uma confusão geral para aqueles que não falam japonês, afinal os casos são raros mas acontecem de bicicletas serem roubadas por essas bandas também.

momo' disse...

Olá! Seu blog esta muito bom! Continue postando /o/
Estava rindo muito da sua Blitz a meia-noite! (” Pensei em bancar o gringo analfa”)
xDD


;**

Karuzo disse...

PARA KENDIER,

Obrigado pela visita! Que bom que gosta a ponto de indicar aos seus amigos. Espero mesmo que eles gostem tbm. Realmente, alguns japoneses sao bem educados sim. Isso e uma coisa que eu gosto de ver tbm. Ha pessoas que ainda pedem licenca para passar na sua frente, outras que pedem desculpas por terem deixado cair algo perto de vc. Mas como nada e perfeito, ha os nipocavalos, nipogrossos e por ai vai. Pegue o ultimo trem da noite, e veras um outro mundo! Respondendo a sua pergunta, realmente, eu nao sou descendente de japoneses. Sou sim, de portugueses por parte de mae e italianos por parte de pai. Bom, espero que continue visitando o Muito Japao. Feliz Ano Novo pra vc!

Karuzo disse...

PARA KAZU,

Pois e! Eu sabia que nao pode andar na garupa!!! Simplesmente esqueci de colocar este detalhe fenomenal!! Impressionante isso nao?! Eu acho. Qto ao cara que buzina atras de vc andar pela calcada, eu me faco essa pergunta todos os dias! Palhacada do cara!...e a unica resposta que me vem a cabeca. Agora essa do guardinha foi demais tbm ne! hehehe.... Kazu, um Feliz Ano Novo pra vc !!! Qdo for embora, avisa hein! Um abracao!

Karuzo disse...

PARA UBERLAN,

Tomar banho creio que tomam sim. Apesar de que a noite, principalmente na sexta-feira, o bafo de alcool que fica no ar e notorio! Valeu ae pela visita! Um Feliz Ano Novo pra vc!

Karuzo disse...

PARA SAYURI,
Valeu Sayuri! Que bom que vc gosta. Fica registrada sua sugestao! Volte sempre e Feliz Ano Novo.

Karuzo disse...

PARA PAGI,
Seria tao bom se todos tivessem esse pensamento qdo andassem de bike. mas infelizmente... Eu tbm prefiro andar pela rua! Agora qto a emprestar ne? Como que pode isso ne? Impressionante, eu acho. Como que faz pra emprestar ne? hehehe...
Beijao e bom 2008 pra vc!

Karuzo disse...

PARA MOMO,
Obrigado mesmo! E com incentivos assim que eu tenho mais vontade de escrever sobre coisas do Japao em portugues. Um feliz Ano Novo pra vc...e volte qdo quiser!

Karuzo disse...

PARA ANONIMO CARIOCA,
Que bom gosta do Muito Japao. Espero poder escrever mais coisas que sejam uteis, interessantes e divertidas ao mesmo tempo. Sei exatamente do que esta falando sobre passear no calcadao de Copacabana! Valeu mesmo pela visita e como conterraneo(a), espero que tenha um Ano Novo Maneirissimo! Tudo de bom!

Volkmann disse...

HaHa cara seu blog é d+ acompanho ele faz tempãooo mesmo...
Tipo o Japão tem muita mais muita coisa que vc olha e pensa: "muito Japão" tu aproveita e mostra pro pessoal que não tem a oportunidade de ficar de cara com essas coisas ai uahuaha flw cara
FELIZ 2008

Bullitt disse...

Pois é essas jitenshas são uma mão na roda, o ruim é como lembraram bem por aqui, que no verão e no inverno é uma desgraça andar de bike. Já levei vários tombos na rua com neve caindo...

O pior são aquelas ruas que não tem calçadas, comuns aí no japão, quase fui atropelado por um carro ao desviar de um pedestre. Sorte que aí é Japão.

Raquel disse...

Que saudade da minha bike japonesa! Eu usava muiiiito! Só no invernão que andava menos. Eu era até cliente de um mega estacionamento, onde deixava minha bike todo dia. Sem contar que era um atividade física que eu incorporei à rotina. Aqui no Brasil faz muito tempo que não ando de bicicleta.

Diego Nishi disse...

Pow, vc não falou do estacionamento q tem acho q em Tokyo q é igual ao q tem de carro tb, q vc deixa ela no local lá, aí põe o ticket e ela é guardada no subsolo...
muito interessante...
impressionante...
Heuahuahuah
Muito Japão!!!
Aliás, 車 é carro num é?!
自動車 é automóvel em geral né?!
Abraçow
;]