quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Jogar no lixo? O que é isso?

Hoje fomos almoçar em 10 pessoas. Maioria de brasileiros. Tudo por conta de uma colega, também brasileira, que saiu da empresa e resolveu aparecer por lá para nos visitar. Foi muito divertido. Foi lá que discutimos um assunto Muito Japão: dificuldade em jogar o lixo fora. Explico. Dois colegas relataram, cada um, sua experiência no interior de uma loja, quando eles tentaram pedir ao lojista que jogasse fora o lixo que eles estavam na mão naquele momento.
Primeiro, uma colega contou que ficou horas na fila e, já estava um certo tempo no balcão da loja para preencher papéis, formulários e tal quando, gentilmente, pediu à mocinha da loja que jogasse o papel que ela estava na mão na lixeira que estava bem atrás da lojista. Não adiantou nada a gentileza. A mocinha simpática que só, primeiro fez uma cara de ..., sabe né? Era como se a colega tivesse perguntado: "Posso ficar nua e sair correndo pela loja gritando que odeio o Imperador?" A mulher não entendeu a pergunta ou achou aquilo a coisa mais anormal do mundo. Como ela, que nunca havia sido solicitada para aquela ação faria aquilo de repente? E sem perguntar ao chefe?! E agora? Como agir diante de uma situação tão esdrúxula como esta, de jogar fora um papel no lixo??
Uma outra colega, que estava com a gente no almoço, matou a charada. A mulher fez aquela cara de (você já sabe), porque no treinamento daquela função, não havia sido comentado nada sobre jogar fora lixo alheio. Provavelmente, não havia no manual de condutas o quesito "O que fazer em caso de uma cliente loira sem ascendência japonesa, acompanhada do marido, igualmente estrangeiro, que esteja comprando uma filmadora Sharp modelo XY5678KG90PS, pedir para jogar fora um pacote de biscoito recheado, sabor baunilha com pedaços de chocolate, custando em média ¥130?"
Outro colega, que ouviu a história disse que a primeira colega teve mais sorte, porque a simpática mocinha fez caras e bocas, mas pelo menos, no final das contas, jogou fora o tal lixo. Mas ele não teve a mesma sorte. Ao pedir para jogar fora um papelzinho, a lojista se recusou em esticar o braço para jogar fora o papel na lixeira que estava do lado dela, atrás do balcão. Coitada. Eu tenho pena. Essa também não deve ter interpretado bem a pergunta. Talvez, quando ele mostrou o papel e apontou para a lixeira, ela pensou que ele estava perguntando se seria possível ele pixar todas as paredes da loja e depois pedir a ela que usasse aquele papelzinho para limpar tudo e depois jogasse na lata do lixo que estava perto dela. Só pode!
Eu fico com a hipótese do manual incompleto e do treinamento mal feito que não incluiu uma situção tão atípica como essa de se jogar fora no lixo um papel. Para entender melhor essa relação, cultura milenar com situações inesperadas, sugiro ler o post publicado em julho de 2007. Basta clicar aqui. Ficamos então com a palavra de hoje: 'ごみ箱 (gomibako) ou mesmo 屑入れ (kuzuire) . Em português, a tão comentada, "lata de lixo".

12 comentários:

Alexandre C disse...

Tem coisas que mesmo que queira não é para entender.

Dica: Experimento jogar no chão.
I'm kidding!

Bjs
Seu mano.

Luiz Guilherme disse...

Fala aí Jurio-san... vejo que anda se irritando com o excesso de mecanização de alguns japas ne. será que realmente ela não entendeu? acho que sim. acho mais fácil que isso talvez seja considerado algo que ela não deveria fazer por você, embora nada custe. não sei.

dei uma lida nos posts todos da página, já que há séculos não acesso seu blog :P continuam excelentes! =D

Um grande abraço e até mais!

issamu disse...

Talvez elas pensem que, aquele simples papelzinho possa render uma ação contra a empresa e consequentemente a demissão.

Vai entender?

Te vi no G1.

César disse...

Olá!
Me chamo César e acabei chegando até aqui através do G1, site de notícias do Globo.com. Muito legal!
Moro em São Paulo e estou iniciando meu curso de japonês, pois estou em treinamento para me tornar monge zen-budista e é muito provável que tenha que ir para o Japão fazer um estágio.
Com certeza vou passar mais vezes por aqui! Parabéns pelo blog! Bem escrito e curioso!

Karina Almeida disse...

vi voces (bruna e gisele tb) no g1 (^_^)v

arrasaram!

Pedro Beck disse...

Olá!

Parabéns pelo blog.

Moro em São Paulo, mas também sou do Rio.

Tenho um ENORME desejo em morar no Japão, conhecer o país e sua cultura mais a fundo, descobrir cada ruela, costumes, etc.

Achei seu blog excelente, li diversos posts e gostaria de manter contato com você, se possível.

Um forte abraço,
Pedro Beck

Tônio disse...

hehehehe...
Você escreve bem cara, gostei do humor. Achei aqui pela matéria do G1 da GORObo.com.

Valu, abraço.

Anônimo disse...

Carusooooo! Vamos andar com uma lixeira portátil! kkkk! Ó, fazia um tempão que eu não entrava aqui, já ri um monte! Adorei o post do bêbado..hahahaha! Bjos, amigo! Bruna :)

Silvia Palma disse...

Sou de Santa catarina e também te achei através do G1 da Globo..adorei teu blog...farei vistas constantes...Abração

Shigueko disse...

Humm... estava pensando aqui nessa situação e... serah que no Japao as pessoas nao sentem nojo em pegar no lixo das outras?! Serah que nao eh falta de educação vc entregar o seu lixo oh, toma, joga aih na lata esse lixo pra mim?! sei lah, neh? Tbem penso que as vezes coisas que sao banais e normais pra gente fogem completamente do normal pros japoneses por isso que pode parecer absurdo pra gente eles nao sacarem, mas pra eles tbem pode ser um absurdo a gente pedir!! hihihi... Bjim...

Kiki disse...

Quando comecei a ler esse post, imediatamente me lembrei daquele "Eu, robô". :P

Celina disse...

Ola,
Acho que a maiorai dos japinhas guardam o lixo na bolsa pra jogar em casa. Eu pelo meonos faco isso!!!! Afinal de contas carregar papel na bolsa nao custa nada, nao da dor nas costas.... (ou vc pode procurar lixeiras de lojas de conveniencia).
Melhor de jogar o chao!!!!