sábado, 5 de maio de 2007

O Brasil na pauta

Adoro ver coisas do Brasil em revistas japonesas. Principalmente, claro, se forem coisas positivas. A revista japonesa L25 – versão feminina da R25 (ambas gratuitas e semanais) – traz na edição desta semana, uma matéria do gênero. Aliás, uma só não, traz, na verdade, duas matérias.
Uma delas é praticamente uma nota pequena, mas que menciona as redes brasileiras. Não as“de tráfico” ou “de corrupção”, mas aquelas de se ter na varanda, para deitar e ficar balançando, relaxado, só ouvindo o barulho, em ritmo de tic tac, da corda roçando no gancho da parede... até cochilar.
Voltando à revista, a matéria, quase que um manual de instrução de como utilizar uma rede, fala que em muitas redes do Brasil é utilizado algodão 100% orgânico e são muito macias. Também fala que há uma variação grande de cores e é ótimo para mulheres que não gostam que vejam como ela costuma dormir.
O texto começa assim: “Você já deitou em uma rede? Como material para lazer muita gente já utilizou, mas agora a rede parece estar caindo no gosto dos decoradores”. Segundo a notinha, há redes nos tamanhos de pequeno a extra-grande. Outro trecho diz: “Quando se está deitado em uma, tem-se a sensação de estar flutuando, mas ao mesmo tempo uma sensação de segurança e do corpo estar todo envolto. Com isso é possível relaxar o corpo e a mente. A sensação é tão boa que, sem sentir, acaba-se pegando no sono”. A rede do Brasil está sendo vendida aqui no Japão por cerca de ¥6.800 (cerca de R$115).
A outra matéria trata do Brazilian Bikini (Biquíni Brasileiro). Em uma página inteira, uma brasileira teve a chance de sair em uma revista bancando a modelo. Na outra página, ao lado das fotos de vários biquínis do Brasil, o texto apresenta o produto como a tendência do verão que vai chegar aqui no Japão. Segundo a matéria, o corte dos biquínis brasileiros é ousado mas ao mesmo tempo é sexy e elegante e são feitos não para se esconder, mas para se mostrar charmosa. O melhor da matéria ficou para o comentário da repórter ao ver o biquíni do Brasil pela primeira vez. “Pouco pano né? Parece que os seios e o bumbum vão pular para fora!”O preço é bem mais salgado do que o das redes. Variam entre ¥15.000 e ¥22.000 ( cerca de R$250 e R$370).

11 comentários:

Gisele Scantlebury disse...

As redes estao com um preco otimo porque uma rede boa mesmo, feita a mao no Piaui, custa quase R$ 200 ainda no Brasil. Depois de importadas para ca, o custo deve subir muito. Acredito, portanto, que estas da materia sejam "modelo exportacao". Ou seja, boa qualidade, mas que nao sao feitas para durar como as que podemos encontrar no Brasil.

Luiz Guilherme disse...

rs.. acho que vou exportar biquinis para o Japão... rsrs.. seria um ótimo negócio, com certeza. :P

Muito interessante o texto sobre "segurança".. um real tópico "muito japão"... aliás.. comprei um livro que conta a história de Akio Morita, um dos fundadores da Sony e num trecho, logo no início, ele diz "muito japonês, pensei" quando, após anunciada a derrota japonesa pelo imperador na segunda guerra ele, como oficial da marinha, vai a uma estação de trem pegar condução devolta à sua base e fica surpreso de o trem chegar na hora exata e quase vazio. rs quando li o "muito japonês" (ele já era bastante ocidentalizado para a época), lembrei do seu blog na hora.. rs

À propósito, enviei o link do blog pro pessoal do grupo de estudo de lingua japonesa ^^

abraço!

Katsura disse...

Parabéns pelo blog. Recebi a divulgação pelo colega Luiz Guilherme.

Só não fiquei contente com a notícia do biquini. Eu não gostaria de ver japonesas usando os biquinis do "Brazil", com muito pouco pano (até por causa da presença constante dos perigosos otakus de nariz sangrando).

Piadas a parte, o biquini das japonesas é que deveria ser importado para o Brasil para auxílio no equilibrio da decência. Afinal de contas praia é pra se divertir na água. Deixa pra ficar mais pelado na praia de nudismo. Aliás, a perdição da Ásia em geral é essa mania crescente de querer imitar os ocidentais, cegando-se da própria beleza exuberante que eles a milênios possuem.

Daiane Tamanaha disse...

Oi, Karuzo!

Legal seu blog! Leio sempre o da Karina e ela recomendou o seu no último post.

Já sou sua leitora assídua também!

Beijo!
Nos vemos em alguma pauta por aí!

Daiane Tamanaha disse...

Oi, Karuzo!

Legal seu blog! Leio sempre o da Karina e ela recomendou o seu no último post.

Beijos! Nos vemos em alguma pauta por aí!

Andrea disse...

Olá!!!!
Ahhhhh estou adorando tudo isso =]
Mas deixa eu te contar uma coisa, no Brasil nunca fui assaltada e aqui eu fui, acredita nisso? Hahaha!!!! Só rindo mesmo!
Mas é sério...comprei uma luz para minha bike, paguei milão e no outro dia tinham roubado a coitada. Deixei a bike no estacionamento do prédio como todos os dias e jamais imaginei que aqui no Japão alguém roubasse alguma coisa, ainda mais uma luz de bicicleta. A pessoa q levou desparafusou e levou com as pilhas recarregaveis e tudo mais, eu mereçooooooooooo, haha, cada uma né? Coisas do Japão...bjs e ótima semana!

Angélica Camacho disse...

Hola Karuzo!!
Lindo blog, muy a tu estilo, estaré siguiendo tus posts para reir y practicar mi portuñol ja ja.
Sobre los bikinis brasileños pues debo decir que son muy sexy, no como los tremendos calzones que usan en Japón (cuando me puse uno me vi con un trasero inmenso! horror!).

Un abrazote

Saludos :)

Anônimo disse...

Ta dificil escrever aqui, meu amigo, mas, como sabe, sou super suspeita pra elogiar seus textos. Todos sempre com um ritmo fantastico - ou "fandártico" como ouvi dia desses ao elevador...:D Imaginei logo: ela deve ser fã do Ártico...:D

Brincadeiras a parte, adorei!!! Esse "Muito Japão" é, simplesmente, sua cara...:D

Milhoes de bjinhos,
Tia Ahnis...;)

Raquel disse...

Finalmente o biquini brasileiro vai chegar no Japao. Voce vai dar um de presente pra Tomoe?

Para o alto e avante! disse...

ola Caruso!!!
Que bom! vc tem um blog agora. Adorei tudo!
Vou voltar sempre!
Para o alto e avante!

Lirian Mina disse...

hahahahaha eu sinto muita saudade de rede, o problema eh que com essas paredes finas que a gente ouve tudo o que o vizinho fala, eh capaz do apartamento cair! hahahahaa