terça-feira, 27 de maio de 2008

Self-Killed?!

Um dia, um japonês comentou comigo que quando ele foi ao Brasil, ele aprendeu uma palavra muito interessante. Confesso que na hora, minha mente puritana que ´só, achou logo que o cara deveria ter aprendido algum palavrão daqueles. Que nada! Ele tinha aprendido a palavra "seqüestro-relâmpago". Lembrei também que outro japonês já tinha me dito que achou "arrastão" uma palavra "engraçada". De fato, me toquei que ao morar no Brasil, os estrangeiros aprendem palavras que nunca fizeram parte do mundo deles e de repente, aquela palavra vira-e-mexe aparece na tevê e nos jornais. Normalmente, eles não aprenderiam em um curso de português "para gringos", por exemplo.

Aqui no Japão, eu acho que isso acontece também. Existem muitas palavras em japonês que muitas vezes são difíceis até de traduzir, por não terem o correspondente em português ou simplesmente por não fazerem parte do nosso mundo, da nossa cultura. Quem trabalha com tradução de japonês sabe bem do que eu estou falando. Mas nem sempre a palavra é novidade, novidade mesmo. O que pode acontecer é que a palavra, mesmo já conhecida, em outro contexto, ganha dimensões bem diferentes. Estou falando, por exemplo, da palavra "jisatsu" (自殺). O primeiro ideograma significa "o próprio". Ao juntar-se com o ideograma de "matar", teremos a palavra "suicídio" em japonês.

Claro que já usei esta palavra no Brasil, em português, e sei bem do que se trata. Mas sinceramente, não lembro de ter visto essa palavra tantas vezes na mídia brasileira quanto vejo na japonesa. Aqui vira-e-mexe a gente vê em revistas, jornais e nos telejornais. Se é no jornal dos esportes então, nossa, a palavra 自殺 ganha traços fortes, cores fortes e ocupa quase metade da página... tá bom, eu exagerei, mas que chama a atenção no trem chama! Veja só...

É "jisatsu isso", "jisatsu aquilo", "jisatsu aquilo outro" e por aí vai. Às vezes é político que se mata para não ter de renunciar diante de um escândalo ou é criança – isso mesmo criança – que se mata porque se sente rejeitada ou discriminada pelos amiguinhos!! Criança daqui sabe se matar!

Tem também pessoas que se encontram através de sites só para se reunirem e se matarem todas juntas. É o chamado 集団自殺 (shuudan jisatsu). Ah! Às vezes são todos membros de uma mesma família! Sempre sai matéria desse tipo. Quando não é sobre o caso em si, é alguma matéria relacionada a grupos de psicólogos e especialistas reunidos para bolar um jeito de diminuir o número de gente que se mata nesse país. Mês passado mesmo, eu li uma matéria no jornal sobre um evento que reuniu gente que tentou se matar e não conseguiu! Imagina isso! Cada um ia lá na frente no palco e relatava o que tentou fazer, o porquê e tal...

Lembrei também que já vi...eu mesmo, com meus próprios olhos, em uma livraria, um manual do suicida. O nome era esse mesmo: 完全自殺マニュアル (Manual Completo do Suicida). O livro explicava com gravuras, técnicas para se matar! Com direito a ranking e tudo se dói, se não dói, se é rápido ou se demora a morrer... É mole?!

Eu sempre achei essa relação "Japão-Suicídio" meio batida. Mas confesso que já tinha pensado em escrever sobre isso antes, tamanha a quantidade de vezes que a gente ouve essa palavra no Japão. Finalmente decidi escrever porque ontem, isso mesmo, ontem, uma japonesa se matou. Claro que, fora o lado sentimental e até religioso, se fosse apenas mais uma japonesa a se matar, eu não ficaria tão impressionado, mas essa moça, Ako Kawada (川田亜子), era uma apresentadora famosa, bonitinha até, e participava de um programa que eu via!!! Sim, dessa vez, eu fiquei chocado...

Ela foi encontrada morta na segunda-feira, dia 26, no carro da agência (de talentos) dela, no banco do motorista e tombada para o assento do passageiro. A polícia acredita que seja mais um caso de suicídio por meio da inalação de uma quantidade letal de monóxido de carbono, já que foram encontrados restos de carvão e as janelas estavam vedadas. Aliás, maneira bem manjada de se matar aqui. A técnica é usada bastante pelo povo que se reúne para a última reunião de todas. Ainda não se sabe o motivo que levaram a mocinha a se matar. Ela deixou apenas uma mensagem dirigida à família, agradecendo por tudo.

Não chorei não. Mas é uma sensação estranha. Uns dizem que essa coisa de se matar é cultural. Vem da era dos samurais. Outros afirmam que é a fraqueza psicológica do ser humano diante desse mundo japonês que presa por resultados a todo custo e regras em abundância. Não sei afirmar. Só sei que aqui a gente ouve falar muito disso. Só isso. Bom, quem quiser praticar japonês, eu copiei a notícia do site do jornal.

フリーアナウンサー川田亜子さんが自殺26日午前6時15分ごろ、東京都港区海岸3丁目の路上で、「女性が車の中で倒れている」と通りかかった会社員から110番通報があった。警視庁三田署員が駆けつけたところ、車内でフリーアナウンサーの川田亜子さん(29)が死亡していた。家族に感謝の言葉を記した遺書が車内にあり同署は自殺とみている。同署によると、川田さんは運転席に座り、助手席にもたれかかるように倒れていた。後部座席には練炭が2個置かれ、運転席の窓は目張りされていた。

6 comentários:

Loo disse...

que horrível >_<
e como é que deixam um livro assim ser publicado e vendido na boa desse jeito? o.o'

Gleydson disse...

Oi Júlio! Primeiro, parabéns pelo excelente blog. Muito bacana mesmo ter essas referências "in loco", com olhos da nossa cultura.

Agora, essa história de suicídio pelo visto é até pior do que pintam pra gente... Eu hein!!! Os caras vivem competindo e competindo, desde bem moleque, né? Imagino o grau das frustrações.

Obrigado e por favor continue a postar.

Abraços!

Raquel disse...

Cada país com seus problemas. A gente aqui tem Fome Zero e no Japão é Suicídio Zero.

Vale lembrar que mesmo que você queira ignorar as notícias, os suicídios sempre interferem na rotina aí. Quantas vezes o trem não pára porque alguém se jogou na frente dele? Acho que deve ser a maneira mais popular de se matar aí, né?

Edu M.K disse...

Fiquei super chocado tbm, via muito ela na tv nos tempos que era apresentadora da rede TBS.
No dia 27 fez 1 ano da morte da vocalista da banda Zard (Sakai), e alguns meios de comunicação na época
levantaram uma hipótese de suicídio, já que ela foi morta após uma queda do segundo andar do hospital em que ela estava internada.
O problema do suicídio no Japão é muito grave!!

Thiago 3T disse...

OMG!
Não sabia que a taxa de suicídio no Japão fosse tão alta. E "na moda" também.
Como disse, faz parte da cultura deles essa prática (infelizmente).
Existem estudos sobre o "perfil dos suicidas" ou o porquê? Se bem que o resultado deve ser da cultura mesmo. Lidar com o fracasso e talz.
E, realmente, um manual de suicídio. Que horror...

ihciem disse...

só gostaria de dizer que adorei a matéria, esse blog é o máximo.